sábado, 23 de maio de 2009

Fernando & Sorocaba
Por Miguel Arcanjo Prado




Eles são jovens, tocam em shows lotados e se tornaram nomes fortes da nova música sertaneja. Formada há apenas três anos, a dupla Fernando e Sorocaba chega ao terceiro disco, “Vendaval”, fazendo apresentação para 10 mil pessoas.

Fernando, 25 anos, que nasceu em Rondônia, começou a tocar violão aos sete anos, no sítio em que a família plantava café. Aos 15, sentiu-se maduro para se aventurar na estrada. Passou dificuldades. Primeiro, em Cuiabá. Depois, em Ituiutaba (MG). “Não tinha dinheiro nem para o ônibus”, lembra. Nos barzinhos, aprendeu a unir Jota Quest à paixão sertaneja. Sem saber, entrava em uma leva de renovação do estilo.

Sorocaba _que também se chama Fernando, mas adotou o apelido que homenageia a cidade onde cresceu_ foi criado entre cavalos no sítio do avô. Em 2005, formou-se em agronomia, em Londrina. Em meio aos estudos, recuperou o violão da adolescência. A música cresceu até o ponto em que cruzou com Fernando, em Minas. Os dois foram para Londrina, onde começaram a cantar juntos. “Em alguns pontos, parecemos até marido e mulher [risos]. Tenho o lado de compor. Fernando é arranjador”, brinca Sorocaba.

Os dois cantam apenas músicas próprias. “Isso ajuda a criar um estilo”, afirma Sorocaba, que toca violino, gaita e violão. “Bala de Prata”, cujo disco homônimo vendeu quase 50 mil cópias, foi o primeiro hit. A nova, “Paga Pau”, tem clipe com mais de 1 milhão de acessos no YouTube, em um mês.

No show há fogos de artifício, telões em alta definição, painel de luzes e até uma boate. O ponto alto é uma grua, na qual ficam bem perto do público. A solteirice declarada de ambos encoraja as fãs. “Teve uma que caminhou 35 km para ir ao nosso show”, lembra Sorocaba. “São elas que fazem o trabalho de formiguinha.”

Ele fala de gente como Juliana Craveiro, 22 anos. “Antes, não curtia sertanejo. Fui ver um show deles e foi amor à primeira vista”, conta. Amor, sobretudo, por Fernando, de quem ganhou um brinco antes de começar o show na 18ª Festa do Peão de Boiadeiro de Cajamar, no domingo passado.

“A gente vê o sucesso acontecendo e não acredita”, diz Fernando, enquanto Sorocaba comemora o convite para tocar no “Programa Raul Gil”. “Se Deus quiser, o Faustão ainda chama a gente também”, brinca. Apesar do sucesso _hoje eles têm até um avião_, a carreira foi ameaçada em julho de 2008, quando Sorocaba descobriu um câncer na tireoide. “Estava muito perto das cordas vocais. Tive que fazer cirurgia às pressas. Fiquei quase 20 dias rouco. Graças a Deus, foi tudo embora.”

Publicado em 17/5/2009 na "Revista da Hora" do jornal "Agora São Paulo".

4 comentários:

  1. Parabéns rapazes vocês merecem

    ResponderExcluir
  2. nossa lendo a estoria de vcs, um pouco da historia ja sabia, teve uma que me chamou atenção sobre seu cancer, me comoveu,eu emeu esposo samos fã de vcs e adimiramos o trabalho que vcs fazem, e sou mais grata pois vou realizar meu sonho de conhecer vcs, mesmo por longe mais irei de ver
    pois estarão cantando aqui na festa da uva no pr
    e pesso adeus que ilumine dia pois dia os sucessos de vcs e que essa luta que vcs passarão não digo um so que passou , mais sim vcs pois são unidos, irmãos nessas jornadas, que deus venha abencoa cada dia mais
    torço por vcs meus queridos
    bjs

    ResponderExcluir
  3. oii adoroO vcs parabens pelo grande sucessOO
    bjs sou de *jipa RO*

    ResponderExcluir
  4. nossa,a primeira vez que ouvi uma musica de bvs,pensei deve ser dupla nova,as vozes são diferenciadas das que já tem por aí,desejo a vcs tudo de maravilhoso,sucesso szempre,e que delicia de show aki na expo de londrina!!!arrasarammm!!!bjs no coração!!!Jenny!!!

    ResponderExcluir